Anatomia real: espécimes plastinados pelo método von Hagens

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
cabeça plastinada mostrando a estrutura interna


Mais de 50 milhões de pessoas já viram a fascinante exposição itinerante “Body Worlds”, que desde 1996 percorre o mundo para mostrar o corpo humano por dentro, a partir de corpos reais. Eles são preservados por meio de um método inovador denominado plastinação, que, resumidamente, preserva os tecidos biológicos, estagnando a sua decomposição.

Criada pelo médico alemão Gunther von Hagens em 1977, a plastinação é um método inovador de preservação de espécimes anatômicos, onde todos os fluídos do corpo são substituídos por um polímero que pode ser endurecido. Desde então o processo vem evoluindo a cada dia, garantindo que os espécimes não tenham cheiro, não ofereçam qualquer risco à saúde e suas características sejam preservadas.

Por um minucioso processo que pode levar até um ano, é possível manter toda a estrutura interna do corpo, como veias, artérias, articulações, músculos, órgãos, tecidos, entre outros.

O uso de espécimes humanos apresenta uma visão precisa da anatomia humana de uma forma que não pode ser mostrada com modelos tridimensionais. Quando o tratamento físico-químico é realizado corretamente, as estruturas celulares microscópicas mantêm sua forma original. Os plastinados são representações precisas de corpos preservados, ilustrando todas as estruturas funcionais de forma perfeita e real. Exatamente por isso, os espécimes von Hagens Plastination são considerados revolucionários nos estudos de anatomia, por tornarem o aprendizado extremamente real e fascinante. É possível, por exemplo, notar um pulmão real alterado pelo cigarro de pessoas que fumaram ao longo da vida.

Além dos corpos inteiros, o von Hagens Plastination oferece ainda amostras plastinadas detalhadas de regiões do corpo, órgãos, esqueletos, vasos sanguíneos ou de sistemas corporais. Há ainda as fatias plastinadas de 1 a 5 mm de espessura, que mostram, de forma microscópica, as estruturas dos tecidos mais finos. Os plastinados em lâminas são coloridos e mostram as posições dos elementos estruturais em relação uns aos outros, oferecendo uma distinção clara e didática dos diferentes tipos de tecido. Devido à tecnologia von Hagens Plastination, eles são duráveis, não encolhem e não se deterioram com o tempo, sendo indicados para laboratórios de universidades e museus.


Os corpos utilizados são de doadores que deram seu consentimento por escrito durante a vida de que seus corpos deveriam ser usados ​​para a educação das gerações futuras por meio da plastinação, através do programa de doação de corpos do Institute for Plastination, fundado em 1993.

A linha von Hagens Plastination chega ao Brasil com distribuição exclusiva pela Civiam, levando o estudo anatômico a outro patamar. Consulte-nos sobre os passos necessários para qualificação de sua instituição.

Veja como é feito todo o processo de plastinação no vídeo:

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *