A importância da manutenção preventiva nos laboratórios de simulação médica

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Homem fazendo manutenção preventiva em um simulador de paciente

A manutenção preventiva é um dos principais aliados dos laboratórios e centros de simulação das instituições de saúde, uma vez que reduz custos e tempo ao antecipar possíveis problemas com desgaste de peças e equipamentos e garantir o máximo do potencial dos recursos com segurança. 

“Quando falamos em manutenção preventiva, o cliente sempre pensa em uma manutenção de um carro novo, ou seja, a grande maioria das pessoas não deixa de fazer a preventiva do veículo, seja em garantia ou fora dela ou ainda antes de uma viagem longa, por exemplo. Mas, quando se trata de equipamento, em geral, esquecemos deste conceito e só lembramos quando surge um defeito e, então, buscamos resolver e a solução é a manutenção corretiva. Portanto, o plano de manutenção preventiva é muito aconselhável para qualquer equipamento/simulador a fim de mantê-lo sempre em perfeito funcionamento, além de antecipar os possíveis problemas futuros e minimizar custos. Ou seja, o ‘não fazer a manutenção preventiva’ já é um risco muito grande para o centro de simulação/laboratório”, explica Paulo Giordano, responsável pela área de treinamentos e manutenção, especialista em simuladores de alta fidelidade da Civiam.

Ele indica uma frequência a cada três ou quatro meses para a manutenção preventiva dos equipamentos, a mesma periodicidade em relação aos de baixa e média fidelidade. “Já os manequins de habilidades, que demandam maior uso, como o treino de punção, por exemplo, que exige a troca de peles simuladas, vasos e eventuais vazamentos, se aconselha que a preventiva seja mensalmente”, explica Wando Santos, técnico de manutenção da Civiam, especialista em assistência em simuladores de baixa e média fidelidade, manequins de habilidades e modelos anatômicos.

De acordo com ele, causas como uso incorreto durante o aprendizado, descuidos como manter pilhas dentro dos simuladores quando não estão em uso (como neste momento de pandemia), e limpeza inadequada são alguns dos principais fatores que danificam os recursos dos laboratórios de simulação médica. 

Paulo ressalta ainda que para os simuladores de alta fidelidade estarem sempre em boas condições é preciso que os centros de simulação sigam todos os protocolos que cada equipamento exige, como limpeza externa e interna (quando há uso de líquidos e corantes no simulador). “Um dos procedimentos mais comuns, mas muito importante na manutenção preventiva, é a limpeza da tubulação interna, que evita que fique danificada/ressecada e, assim, possa prejudicar todos os circuitos eletrônicos. Vale lembrar que sempre orientamos os procedimentos necessários no treinamento de uso além de cada equipamento possuir sua instrução específica para os cuidados a serem tomados com os simuladores e o próprio laboratório deve efetuá-los e tê-los em sua lista de regras, assim como orientado no treinamento”.

Wando destaca ainda que, apesar das instituições terem um cuidado maior com os simuladores, por serem equipamentos de maior valor, é preciso atenção aos demais recursos que compõem o laboratório de simulação, como manequins de habilidades e modelos anatômicos, que demandam entre outros ajustes a restauração, solda e pintura. 

Pandemia e planejamento

“As manutenções preventivas são realizadas comumente nos períodos de férias dos alunos, mas diante das circunstâncias em que vivemos neste momento de pandemia, antecipar tanto quanto possível será muito importante, pois, dessa forma, as instituições podem melhor se programar o que antes deixariam apenas para julho ou dezembro/janeiro e estarem preparadas para qualquer decisão do governo quanto à liberação das aulas presenciais”, orienta Wando.

Paulo reforça a questão da importância do planejamento dos laboratórios e centros de simulação para a realização da preventiva, pois também devido à pandemia, pode haver atraso maior por conta das peças importadas. “Além disso, desde o ano passado, com a alta demanda de manutenções e protocolos de segurança, a agenda técnica do departamento de engenharia está com um tempo maior para os atendimentos, dessa forma indicamos sempre que o cliente se programe com antecedência para a preventiva, aproveitando, como o Wando ressaltou, o período sem aulas presenciais, pois quando retornarem, o uso dos simuladores será, provavelmente, mais frequente”, explica. O especialista orienta ainda que o responsável do laboratório efetue uma lista com o número de série dos simuladores de alta fidelidade existentes para que a equipe de engenharia da Civiam possa verificar qual o histórico de manutenção de cada simulador e, assim, definir quantos dias seriam necessários para a preventiva. “Com estas informações, a instituição poderá efetuar o planejamento da manutenção preventiva durante o ano todo”, esclarece Paulo.

E destaca: “Vale lembrar que, com a manutenção preventiva, a instituição aumenta a confiabilidade do seu centro de simulação e de seus simuladores. E sempre trago a reflexão: quanto tempo e dinheiro a sua instituição gastará para cancelar e reprogramar dois dias de simulação que constavam na grade curricular e como isto impacta na agenda anual dos alunos, professores e do centro de simulação?”.

25 anos de experiência

A Civiam tem mais de 25 anos de experiência em assistência, manutenção preventiva e suporte técnico em simuladores de baixa, média e alta fidelidade, manequins de habilidades e modelos anatômicos. “Oferecemos atendimento pontual ou planos personalizados que melhor se encaixam na necessidade de cada instituição, como atualização de softwares, manutenção preventiva ou corretiva de equipamentos, consultoria e treinamentos”, explica Wando. 

Por conta da pandemia, ambas as áreas desenvolveram um sistema de verificação de forma remota, que conta com a ajuda dos responsáveis do laboratório de cada cliente. “Dessa forma virtual, podemos identificar problemas e fazer um diagnóstico e orçamento final. Claro que para alguns defeitos apresentados exige-se uma visita presencial, pois é necessária uma verificação interna do simulador e de suas partes com ferramentas apropriadas”, explica Paulo.

A Civiam trabalha com uma equipe de engenheiros treinada e certificada pelos fabricantes: “portanto, usamos ferramentas e dispositivos de acordo com cada simulador e indicados pelo fabricante, a fim de efetuar uma manutenção de alta confiabilidade usando o mesmo protocolo de assistência técnica utilizado em todo o mundo”, esclarece Paulo.

Para saber mais sobre os serviços de manutenção preventiva, assistência técnica, planos e solicitar um orçamento, acesse:

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *