ComunicaTEA: famílias unidas pela Comunicação Aumentativa e Alternativa

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Foto vista de cima de uma menina de cabelos claros segurando um tablet rosa com um software de comunicação alternativa em cima de um jogo de tabuleiro sobre uma mesa

Um grupo de mães com filhos autistas e com necessidades complexas de comunicação que se uniu com o objetivo de estudar e divulgar informações sobre a Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA) no Brasil. Esse foi o motivo que originou, em abril de 2019, o ComunicaTEA, fundado pelas mães Camila Marta, Andréa Cyrillo, Larissa Bisol, Renata Diniz, Renata Bonotto, Patrícia Coutinho, Tatiana Bley, Candida Andrade e Ana Claudia Neiva.

E em março de 2020, o grupo criou o perfil @comunicatea_pais no Instagram, onde passou a publicar regularmente informações atualizadas e materiais para famílias e profissionais, de forma totalmente gratuita. Atualmente conta também com perfis no Facebook (Comunicatea Pais), no Youtube (Comunicatea Pais) e o site www.comunicatea.com.br. “Com o crescimento do  ComunicaTEA nas redes sociais e  o aumento da busca por informações sobre o tema, recentemente demos um passo à frente e constituímos a Associação ComunicaTEA, com atividade preponderante de desenvolver ações de fomento e contínuo desenvolvimento de conhecimento relativo à Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA) no Brasil, para melhorar a qualidade de vida das pessoas com necessidades complexas de comunicação”, explica Camila Marta, Presidente do ComunicaTEA.

Hoje, a instituição conta com uma diretoria com mandato de dois anos, constituída por: Andréa Cyrillo (Vice-Presidente), Renata Diniz (Presidente Honorífica), Larissa Bisol (Secretária), Ana Claudia Neiva (Tesoureira), além de Camila (Presidente), e também conta com a consultoria técnica da linguista e consultora em tecnologia assistiva e CAA Renata Bonotto, sócia fundadora do ComunicaTEA, e da fonoaudióloga especializada em CAA e mestre em Ciências da Saúde, Alessanda Buosi, parceira do ComunicaTEA.

Foto de 4 mulheres sentadas em um banco na rua e atras delas outras 5 mulheres estão de pé. Todas estão olhando para a câmera e sorrindo e usam camisetas sobre comunicação alternativa

Por ser uma associação formada por famílias com pessoas autistas e necessidades complexas de comunicação, o foco do estudo do grupo é a Comunicação Aumentativa e Alternativa no autismo. “Entretanto, nossas ações beneficiam todos os indivíduos com necessidades complexas de comunicação. E um dos nossos objetivos futuros é formar parcerias com variadas associações para fomentar o conhecimento sobre a CAA em diversos grupos de pessoas com necessidades complexas de comunicação”, esclarece Andréa Cyrillo.

Além de ser fonte de informações às famílias, o ComunicaTEA também disponibiliza gratuitamente materiais traduzidos da língua inglesa para o português com conteúdo técnico atualizado e de qualidade sobre CAA nas redes sociais da organização, isso porque o idioma é uma das barreiras de acesso à informação atualizada sobre CAA. “Também disponibilizamos gratuitamente atividades tanto de autoria própria quanto de parceiros, sempre testadas antes da publicação”, complementa Larissa Bisol. O ComunicaTEA também promove lives, cursos, participação em eventos divulgando e fomentando conhecimento sobre CAA.

Entre as novidades para este ano, Camila diz que há a previsão do lançamento do curso do ComunicaTEA de CAA, ministrado por Renata Bonotto, Linguista e consultora em tecnologia assistiva e CAA, e Alessanda Buosi, fonoaudióloga especializada em CAA e na metodologia PODD e mestre em Ciências da Saúde. 

“Além disso, pretendemos lançar, ainda neste primeiro semestre, uma cartilha, que é fruto de estudos que estamos desenvolvendo desde 2019, juntamente com o ComunicaTEAMM, grupo de estudo sobre CAA do Ambulatório de cognição social Dr. Marcos T. Mercadante (TEAMM), do departamento de psiquiatria da UNIFESP, coordenado pela Dra. Daniela Bordini e Dra. Graccielle Asevedo, do qual o ComunicaTea faz parte. Essa cartilha traz informações sobre a CAA, esclarecimentos das dúvidas mais comuns sobre o tema e demais assuntos relevantes. Será disponibilizada de forma gratuita em nosso site e o nosso desejo é que ela alcance todas as pessoas com necessidades complexas de comunicação”, explica Camila.

Para o segundo semestre, o planejamento é extenso e abrange cursos presenciais, criação de Comunidades Comunicativas e participação em grandes eventos, sempre com o objetivo de dar maior visibilidade ao tema. “Ainda existem muitos mitos acerca do uso de recursos alternativos de comunicação, o que acaba atrasando a intervenção e prejudicando o desenvolvimento das pessoas com necessidades complexas de comunicação, tais como o mito de que a CAA impede o desenvolvimento da fala ou ainda que existem pré requisitos para iniciar a CAA; que existe uma idade limite para começar, ou ainda que a CAA é o último recurso. É importante evidenciar que a fala é apenas uma forma de se comunicar, que a comunicação é multimodal e devemos valorizar todas as formas de comunicação. E a CAA oferece um caminho para a superação de barreiras de comunicação, pois atua como apoio para a comunicação e para os processos de aprendizagem e desenvolvimento. Por isso, a importância de desenvolvermos ações de divulgação para que a CAA seja cada vez mais conhecida”, esclarece Larissa.

Quem tiver dúvidas pontuais pode enviar mensagens através das redes sociais do ComunicaTEA que, sempre que possível, a equipe responde por meio de consultoria de profissionais parceiros. E aos interessados em conhecer mais sobre o trabalho do grupo, acessem as redes sociais:

comunicatea.com.br

@comunicatea_pais/

https://www.facebook.com/comunicatea.pais.5

https://www.youtube.com/channel/UCYf6rP807BCh8diNVDzrz3A

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *