Vinícius Streda apresentará o 1º Manifesto de Conscientização do Dia Internacional da Síndrome de Down

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

De 18 a 21 de março acontece o 1º Manifesto de Conscientização do Dia Internacional da Síndrome de Down, organizado por Vinícius Streda, que tem Síndrome de Down, é escritor e palestrante, e o Instituto Simbora Gente. O evento será on-line com transmissão ao vivo pelo YouTube do Instituto e será no formato de entrevistas, em que Vinícius entrevistará diversas personalidades para trazer à tona pautas esclarecedoras, focadas no empoderamento, na autonomia, na independência, com foco na inclusão social.

“A ideia de organizar o Manifesto de Conscientização Sobre o Dia Internacional da Síndrome de Down nasceu do objetivo de desenvolvermos as ações e iniciativas promovendo a equidade social, darmos oportunidades às pessoas com ou sem deficiências, com o objetivo de promover a autonomia e a independência de todos os participantes deste evento. Apesar de ser realizado e promovido por mim e pelo Instituto Simbora Gente, traz também grandes especialistas e profissionais nas áreas de educação, no empoderamento pessoal e social e em relação à inclusão como estratégia de inovação no mercado de trabalho”, explica Vinícius.   

Segundo ele, além da importante questão da conscientização, o evento abordará temas como moradia independente e poder pessoal das pessoas com Síndrome de Down: “como eu quero que a sociedade me veja e se comporte. Traremos também atualizações científicas sobre a Síndrome de Down e a importância das políticas públicas para as nossas causas. Falaremos também sobre empregabilidade, educar para a diversidade, saúde e a importância da família, além de perspectivas atuais na sociedade, identidade e preconceito. Faremos também rodas de conversas com pessoas com deficiência intelectual e abordaremos o protagonismo das pessoas com deficiências”, diz.

Outro tema que o Manifesto abordará será sobre o mercado de trabalho e os desafios das pessoas com a Síndrome: “traremos as experiências de pessoas que estarão no Manifesto para mostrar a realidade sobre o tema da empregabilidade por eles mesmos nos contando sobre este assunto tão importante e abrangente. Por legislatura federal as empresas são obrigadas a contratar pessoas com quaisquer deficiências, e mesmo assim ainda temos uma porcentagem pequena de pessoas inseridas no mercado de trabalho. Por isso, a empregabilidade e as pessoas com deficiência intelectual que estão no mercado de trabalho serão destaques no Manifesto”, relata Vinícius.

Youtube do Instituto Simbora Gente:

https://www.youtube.com/channel/UC1h1PbrghwACUbbXok7AbKg

Veja a programação:

Livro: “Nunca deixe de sonhar” 

Há 10 anos, quando Vinícius tinha 23 anos, surgiu a vontade de escrever um livro para relatar a sua experiência de vida e seus principais desafios em relação à família, escola, empregabilidade e a vida adulta. Em parceria com a prima Carina Streda, psicopedagoga clínica e doutora em Educação, escreveram juntos o livro “Nunca deixe de sonhar”. 

“Quando ele trouxe a mim a ideia de escrever o livro, ele já tinha feito alguns movimentos, como reunir fotos da vida dele, já tinha começado a escrever algumas coisas e algo que ele tinha feito, que foi muito interessante, foi uma pesquisa com as pessoas da família para conhecer mais a sua própria história. E ele escreveu tudo sozinho no computador, eu apenas o ajudei a organizar melhor suas ideias e, durante o processo, o instigava a pensar sobre as coisas que ele queria falar, fazendo-o trazer mais detalhes sobre cada momento que ele gostaria de relatar. Então, dessa maneira, fui estimulando-o a pensar e ele foi construindo o texto”, explica Carina. 

Assista ao vídeo:

De acordo com ela, o processo da construção do livro trouxe grande amadurecimento ao Vinícius. “As pessoas que conviviam com ele começaram a notar o quanto ele foi mudando de postura ao longo do desenvolvimento do projeto. O que acontece é que, ao longo da construção do livro, ele foi se situando, entendendo ‘Quem sou eu? Que papel eu tenho na minha família?’. E isso é algo terapêutico, não apenas no caso dele, mas quando a gente retoma a nossa história, acabamos nos apropriando mais de quem nós somos, que foi o que aconteceu com o Vini. Além do que, o fato das pessoas o reconhecerem como autor do livro e pedirem autógrafos a ele foi lhe dando uma certa autoridade e fazendo com que tivesse um comportamento mais maduro e responsável, assumindo um novo papel. Então não foi apenas a construção do livro, foi um processo que fez ele saber quem é, permitindo se situar no mundo, sabendo o seu lugar, e o lugar que passou a ocupar depois que escreveu o livro”, analisa a especialista. Hoje, o Vinícius é ativista da causa e palestra sobre inclusão social para empresas.

“Outra mudança notória aconteceu porque para trabalharmos no projeto do livro, o Vini tinha que vir para a minha cidade pegando dois ônibus e somente aí começou a viajar sozinho. Depois do lançamento da obra, ele passou a ter mais autoconfiança e autonomia, viajou para vários estados sozinho, fazendo palestra, e até para o exterior já foi também sozinho. Hoje, ele tem um trabalho que é dele”, orgulha-se Carina. 

Após o lançamento do livro, ambos chegaram a ministrar juntos diversas palestras e hoje cada um se dedica à sua carreira. A psicopedagoga diz também que o processo de elaboração do livro trouxe profundas reflexões sobre a Síndrome de Down, que a motivaram a escolhê-la como tema para sua tese de mestrado e doutorado (recém defendida). E, no dia 14 deste mês ela lançará um canal no YouTube no qual irá compartilhar seus conhecimentos sobre a síndrome, entre outros assuntos.“Quando estiverem diante de uma criança, um adolescente ou um adulto com Síndrome de Down, não cheguem olhando para a síndrome como se aquela pessoa pudesse ser confundida com a síndrome. Mas, que possam olhar para ela e se perguntar pela sua singularidade, por sua história, o que ela está sentindo, o que ela pode oferecer. E apostar e investir no desenvolvimento dela para que ela tenha a possibilidade de se tornar o melhor que possa ser”, orienta Carina.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *