Saúde das mamas – A importância do treinamento de diagnóstico preventivo

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn


Se a falta de informação é uma das principais barreiras para a detecção precoce de câncer de mama, que é uma das doenças mais conhecidas quando se fala na saúde da mulher, quem dirá o diagnóstico preventivo das demais patologias que acometem os seios e que são até desconhecidas pela maior parte das mulheres.

Exemplo disso é a conclusão de um pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) sobre câncer de mama, que levantou ainda mais a preocupação sobre a falta de informação pelo público feminino: praticamente todas as participantes já ouviram falar sobre a doença, porém a maioria acredita que o histórico familiar (95,7%) é o principal fator de risco para o surgimento da doença, quando, na verdade, ele corresponde a apenas 10% a 20% dos casos.

Outra informação que muitas pessoas não sabem é que, dependendo do tipo da doença nos seios, o risco da mulher ter câncer de mama pode aumentar. “A hiperplasia ductalatípica, que é quando as células dos ductos mamários estão com formação alterada, aumenta em torno de cinco a seis vezes as chances de vir a ter câncer de mama”, alerta o Dr. Ruffo de Freitas Júnior, presidente do conselho deliberativo da SBM. 

Segundo a entidade, as doenças que acometem as mamas englobam uma ampla variedade de patologias benignas e malignas sendo uma das principais queixas a dor mamária (mastalgia), seguida de identificação de nódulo. Muitas das doenças são ainda relacionadas à amamentação, como mastite (inflamação aguda das mamas), ectasia ductal mamária (quando há dilatação anormal dos ductos por onde o leite passa), além de rachaduras e fissuras nos mamilos pela pega errada do bebê.

Saúde das mamas em qualquer idade

Vale lembrar que, apesar da saúde das mamas estar relacionada às mulheres adultas, as adolescentes também podem apresentar patologias durante o desenvolvimento das mamas. Entre elas está a Fibroadenoma, uma alteração mamária comum nessa faixa etária, com a formação de um tumor benigno, bem delimitado, endurecido e móvel. Pode desaparecer espontaneamente, porém, se, após observação clínica durante alguns meses não diminuir de tamanho ou aumentar, é preciso intervenção cirúrgica. Além disso, sinais de inflamação, áreas endurecidas, má formação de uma das mamas, entre outros, são os problemas mais comuns na adolescência e que precisam ser diagnosticados.

Exatamente por essa grande variedade de anomalias, tanto em mulheres adultas como adolescentes, é que os estudantes precisam treinar as habilidades necessárias para diagnosticar corretamente as patologias das mamas e, então, tomar a decisão assertiva quanto ao tratamento.

Ferramenta de ensino

A Coleção de Mamas com diversas patologias (BHTT) é uma ferramenta fundamental no aprendizado de profissionais da área de saúde. São 10 mamas em quatro tonalidades de pele, que abordam mais de cinqüenta patologias inerentes às condições comuns de saúde da mama relacionadas à gravidez, lactação e saúde geral das mamas. Entre elas estão: dermatite de contato, eczema, herpes zoaster, lesão ou descoloração do mamilo, Glândulas benignas de Montgomery, trauma por bombeamento, crosta ou camada de leite de bombeamento exclusivo, papiloma intraductal, malignidade subjacente (câncer de mama), trauma sem ou com infecção, além de diversas outras.

A ferramenta proporciona ainda às instituições de ensino promover debates relevantes com os alunos em relação à tomada de decisão e orientação à paciente. Como exemplo, no caso de uma lactante que apresenta alguma anomalia no seio, ela deve continuar amamentando ou não? Dessa forma, a Coleção de Mamas torna o aprendizado mais interativo e prepara melhor o aluno para as situações que encontrarão nos atendimentos reais.

Para mais detalhes:

Leia também:

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *