Dicas valiosas em Fonoaudiologia

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Ao participar do quadro “Dicas valiosas em Fonoaudiologia”, no Instagram da fonoaudióloga Carolina Silvério, a fonoaudióloga Adriana Peres*, especialista em Linguagem com Aprimoramento em Comunicação Suplementar e Alternativa (CSA),  diz que o que mais gosta na profissão são a área da linguagem, a Comunicação Alternativa e o trabalho com as pessoas com necessidades complexas de comunicação e seus familiares. Assim, como forma de contribuir com os colegas de profissão e a partir de toda a sua experiência de atuação na área, ela separou três dicas que trazem importantes reflexões sobre o comportamento profissional, detalhes importantes no exercício da profissão e autocuidado. Confira!

cena do filme O escafandro e a borboleta

1 – Filme “O escafandro e a borboleta” 

“Todo mundo que pretende atuar ou atua com pacientes que não se comunicam através da fala deveria assistir esse filme, que é baseado em uma história verídica onde o sujeito sofre um acidente grave e então não consegue mais se comunicar através da fala de forma efetiva. O filme traz importantes reflexões sobre a forma como nós, profissionais, nos comunicamos com pessoas assim. Ele retrata desde o momento em que ele acorda após a lesão, onde muitas vezes acreditamos que o paciente não está entendendo nada, mas no caso do filme ele estava compreendendo tudo o que era falado sobre ele. Devemos valorizar cada tentativa de comunicação, seja por meio de uma expressão facial, do olhar, seja através de  palavras truncadas, mas que querem dizer muito”, explica a especialista. Segundo ela, o filme também traz a importante reflexão dos cuidadores e profissionais se atentarem a oferecer opções de escolha do que o paciente quer e pode comer, da roupa que quer vestir, a escolha do programa de TV, entre outros.

“Uma parte muito bonita no filme é quando a fonoaudióloga diz que ele é o seu caso mais difícil, que não sabe ainda o que fazer, mas que ela quer ajudar. Juntos eles vão construindo o caminho e descobrem uma forma de se comunicar que é a comunicação alternativa. Essa passagem nos traz a reflexão principalmente da forma como atendemos pacientes mais graves, que sofreram um Traumatismo Cranioencefálico (TCE), pessoas com ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica), câncer ou até mesmo crianças com Síndrome de Down ou Paralisia Cerebral. Precisamos mergulhar na história de vida do paciente, conhecer o que o motiva e que consigamos enxergar sempre a PESSOA que está por trás da patologia. Essa é uma das grandes belezas da CAA/CSA, ela muda o nosso olhar sobre o paciente e possibilita que ele se comunique”, explica Adriana.

2 – Juntos somos mais fortes! 

“Eu tenho visto um movimento muito bacana dos fonoaudiólogos estarem mais próximos e compartilhando conhecimento. A Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia tem aberto espaços importantes de discussão e formação gratuitos, o que é importante para a nossa profissão.

Já presenciei profissionais criticando a “fala” do colega em um Congresso sem ao menos escutá-lo direito, só por ser de uma linha teórica ou universidade distinta. Outra situação que infelizmente é comum é quando somos recém-formados e começamos a criticar o fonoaudiólogo que foi responsável pelo atendimento do caso que agora é nosso.

A dica é que valorizemos o outro, independente de linha teórica ou metodologia. Não é preciso criticar o outro para que valorizem o nosso trabalho. O que precisamos é desempenhá-lo com conhecimento técnico e amor. Gosto muito da frase “juntos somos mais fortes” porque acho que tem tudo a ver com o que precisamos: quando a gente se une, a Fonoaudiologia só tem a ganhar!”, argumenta.

3 – Você se cuida?

“A nossa profissão exige que cuidemos dos outros, mas, você se cuida? Para essa questão, a dica é que leiam o livro “Enquanto eu respirar” (de Ana Michelle Soares), que conta a história de uma jovem que está enfrentando um câncer com alegria frente à vida. O exemplo nos ensina que precisamos acreditar em nossos sonhos, precisamos sorrir, mesmo diante das dificuldades, planejar, espalhar e receber o amor! Além disso, temos que estar junto das pessoas que são importantes pra nós. Olhem que frase linda que tem aqui na obra “Meu sonho hoje é abraçar o mundo e retribuir tudo isso que tenho recebido. Quando a vida se torna frágil, sabemos o real valor que ela possui”.

Uma das coisas que mais amo é presentear, e geralmente presenteio algum amigo especial com uma comida que preparei. O mundo está precisando disso: de amor! Que a gente possa espalhar esse amor e dizer para o outro o quanto é importante para nós”.

*Adriana Peres é fonoaudióloga graduada pela PUC/SP. Especialista em Linguagem com Aprimoramento em Comunicação Suplementar e Alternativa. Membro da diretoria da ISAAC BRASIL (capítulo brasileiro da International Society for Augmentative and Alternative Communication). Atuação clínica com crianças, jovens e adultos com necessidades complexas de comunicação na área da Linguagem. É professora de cursos de Especialização e Aprimoramento em Linguagem.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *