Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Visual

Facebook
Twitter
LinkedIn

Conheça lugares acessíveis em São Paulo

Foto em close de uma mão jovem passando os dedos sobre uma placa branca com texto em Braille

Nesta quarta-feira, dia 13/12, é comemorado o Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Visual, data instituída pelo Decreto nº 51.045/1.961, cujo objetivo é sensibilizar a população contra o preconceito e a discriminação, além de destacar a luta pelos direitos e pela inclusão das pessoas com deficiência visual na sociedade. 

Como contribuição à data, trazemos sugestões de locais acessíveis na cidade de São Paulo, cujos atrativos contam com desenho universal, mapas táteis, Braille, tradutores de Libras, audiodescrição, entre outros recursos. A ideia é estimular a inclusão e a acessibilidade à cultura e ao entretenimento dessas pessoas. Conheça alguns pontos turísticos com acessibilidade garantida:

Pinacoteca

Museu de arte mais antigo da cidade, possui um acervo com mais de oito mil peças. Oferece material em Braille, audiodescrição, intérprete de Libras (Língua Brasileira de Sinais), banheiros adaptados e profissionais especializados para o atendimento ao público com deficiência intelectual.

Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra de São Paulo recolhe, classifica, cataloga e expõe permanentemente objetos religiosos cujo valor estético ou histórico recomende a sua preservação. Oferece percurso tátil, e material em Braile, além de intérpretes e educadores fluentes em Libras (Língua Brasileira de Sinais), banheiros adaptados, profissionais especializados para o atendimento ao público com deficiência intelectual.

Biblioteca Mário de Andrade 

Segunda maior biblioteca do país, com 3,3 milhões de títulos. Disponibiliza acervo em Braille, intérprete de Libras, entrada acessível e elevadores.

Sala São Paulo

Uma das mais modernas e equipadas salas de concerto do mundo. Disponibiliza acervo nos formatos digital, Braille, áudio, além de profissionais guias-videntes, intérpretes de Libras e especializados no atendimento ao público com deficiência intelectual. Há também entrada acessível, banheiros adaptados e lugares reservados.

Centro Cultural São Paulo

Abriga um conjunto de bibliotecas, espaços expositivos, teatros e cinemas. Oferece material em Braille e áudio, intérprete de Libras em espetáculos, banheiro adaptado, entrada e rotas acessíveis. Há material pedagógico e profissionais especializados para pessoas com deficiência intelectual.

Auditório do Ibirapuera

Inaugurado em 2005, o Auditório do Ibirapuera foi projetado por Oscar Niemeyer. A entrada ao local é acessível, possui aviso sonoro para indicação de andares e sinalização em Braille. Possui quatro banheiros adaptados e rotas acessíveis às salas e elevador com botoeiras internas. Além disso, são reservados 14 lugares para cadeirantes com acompanhante.

Museu Anchieta do Pateo do Collegio

O museu possui objetos que pertenceram ao próprio Padre Anchieta e à Igreja e Colégio dos Jesuítas. O local oferece mediação e percurso tátil às pessoas com deficiência visual, conta com intérpretes de Libras e profissionais que dominam a língua, além de profissionais para tratamento ao público com deficiência intelectual. Há uma entrada especial para cadeirantes, bilheteria acessível e obras em uma altura acessível. 

Cinesesc

Único cinema do Brasil com bar aberto durante todas as sessões dentro da sala de exibição. Além de bilheteria, entrada e rotas acessíveis, o local conta com banheiros adaptados e sinalização própria para pessoas com deficiência visual.

Cinesala

Famosa pela qualidade e diversidade de sua programação, tem capacidade para 271 pessoas e bomboniére.  Oferece, eventualmente, legenda closed caption, recursos de audiodescrição e material informativo em Braille. Possui entrada, rotas e banheiros acessíveis. Disponibiliza cadeiras de roda e espaços reservados para obesos.

Centrais de Informação Turística

São Paulo possui diversas Centrais de Informação Turística (CITs) distribuídas em pontos estratégicos da cidade, que têm o objetivo de informar visitantes e moradores e dar dicas sobre a rica oferta cultural e de entretenimento de São Paulo. Algumas unidades possuem mapas táteis da região do entorno das centrais, piso tátil, rampas de acesso e balcões acessíveis.

Roteiro pelo Centro com audiodescrição

Um guia que traz informações sobre atrativos, contextualização histórica e dicas para descobrir a cidade da Arquitetura pelo Centro Histórico. Conta ainda com Audioguia (que pode ser baixado pela internet e acompanhado pelo turista durante o passeio por meio de seu MP3 player ou smartphone) e também Audiodescrição (com descritivo de cada atrativo do trajeto, específico para pessoas com deficiência visual).

Transporte público

No metrô, pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida contam com atendimento preferencial. As estações também têm piso tátil e elevadores. Além disso, a cidade possui mais de 14 mil ônibus acessíveis que circulam na cidade. Há o Atende, um serviço gratuito para pessoas com deficiência física com alto grau de dependência, com mais de 200 veículos com elevador e espaço para cadeira de rodas. 

A cidade de São Paulo conta também com o serviço de táxis adaptados às necessidades de passageiros cadeirantes, com lugar para dois acompanhantes. O agendamento de corridas pode ser feito pelo telefone (11) 4117-3775 ou pelo aplicativo Táxi Preto Acessível.

Guia de Acessibilidade Cultural SP

O Guia de Acessibilidade Cultural da cidade de São Paulo – 2ª edição, projeto do Instituto Mara Gabrilli, possui informações relevantes sobre a acessibilidade dos mais diversos espaços de cultura da cidade de São Paulo. Além de prestar um serviço de informação de interesse público referente às pessoas com deficiência, destacam-se as instituições que investem para garantir o acesso de toda população nos equipamentos e dispositivos culturais.

Saiba mais: https://cidadedesaopaulo.com/novidades/sao-acessivel/

Fontes:

https://cidadedesaopaulo.com/novidades/sao-acessivel/?lang=pt

https://bvsms.saude.gov.br/13-12-dia-do-cego-4/

Posts Relacionados

Foto de uma mesa vista de cima, em destaque a capa do livro "Âmago Absorto" de Carla Ramos de Almeida. A capa é bege e tem uma ilustração em estilo japônes de uma cerejeira. A mesa é de madeira com pátina verde claro e em cima dela vemos também um teclado, um mouse, alguns lápis, alguns clips e um pedaço de uma agenda.

“Âmago Absorto”: livro de poesias é de autoria de Carla Ramos de Almeida, diagnosticada com autismo aos 17 anos

Neste mês de conscientização sobre o autismo, compartilhamos a história de Carla Ramos de Almeida, 19 anos, que foi diagnosticada com Transtorno do Espectro Autista (TEA) quando estava prestes a completar 17 anos. Em 2021, Carla lançou o livro “ mago Absorto” (editora Ramalhete), que reúne 38 poesias no estilo haicai (ou ainda haikai ou haku), que é um subgênero literário de origem japonesa, que apresenta uma estrutura fixa de três versos.

Leia mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *